Escrita

A IMPORTÂNCIA DA ESCRITA NA ALFABETIZAÇÃO: COMO INCENTIVAR AS CRIANÇAS A ESCREVER

A escrita desempenha um papel fundamental no processo de alfabetização, contribuindo para o desenvolvimento da linguagem e a aquisição da língua escrita. Ao desenvolver o hábito da escrita desde cedo, é possível promover a alfabetização de forma mais eficaz e garantir que as crianças se tornem leitores e escritores competentes e criativos.

A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) destaca a importância de aproveitar o interesse espontâneo das crianças pela escrita e oferecer oportunidades e experiências que estimulem seu desenvolvimento. Através da contação de histórias, do ensinamento de novas palavras e do estímulo à expressão escrita, é possível despertar o interesse das crianças pela linguagem escrita e fortalecer suas habilidades de redação, ortografia e compreensão linguística.

Para incentivar a escrita nas crianças, é essencial que as atividades sejam significativas para elas. Contextualizar a escrita no dia a dia, considerar seus conhecimentos prévios e proporcionar experiências criativas são estratégias eficazes. Além disso, é importante mostrar às crianças que a escrita é uma forma de expressão e comunicação, incentivando-as a registrar suas ideias e compartilhá-las com outras pessoas.

O Processo de Alfabetização e a Importância da Escrita na Educação Infantil

O processo de alfabetização é um marco crucial no desenvolvimento educacional, representando o ponto de partida para a jornada de aprendizagem formal. Este processo vai muito além da simples decodificação de letras e palavras, abrangendo a capacidade de compreender, interpretar e expressar ideias por meio da escrita. A habilidade de ler e escrever não apenas fornece acesso ao vasto universo do conhecimento registrado, mas também capacita os indivíduos a comunicarem suas próprias experiências e perspectivas.

A escrita desempenha um papel fundamental na Educação Infantil, proporcionando às crianças oportunidades de construir hipóteses sobre o funcionamento da linguagem e confrontá-las e reconstruí-las em um processo constante de aprendizagem. Ao oferecer experiências com a língua escrita, as crianças adquirem conhecimentos básicos que são necessários para o processo de alfabetização.

O contexto presente na educação infantil reafirma a ideia de que, mesmo antes da aquisição plena do domínio sobre o sistema de escrita e leitura, as crianças têm a capacidade e a necessidade de se familiarizarem com a estrutura textual. Nesse sentido, é crucial introduzi-las precocemente no universo do letramento, proporcionando uma imersão gradual na cultura que envolve a linguagem escrita.

Mesmo em uma fase não convencional, como a brincadeira de fazer listas de compras ou escrever histórias do seu próprio jeito, as crianças constroem hipóteses sobre a escrita e desenvolvem o interesse e o senso de propósito na aprendizagem da escrita. A escrita na Educação Infantil não se limita apenas ao desenvolvimento das habilidades de escrita, mas também proporciona às crianças o contato com textos e a oportunidade de interagir com o mundo da linguagem escrita.

Oferecer um ambiente rico em experiências de escrita permite que as crianças explorem, brinquem e experimentem diferentes formas de se expressar. Isso contribui para o desenvolvimento do pensamento criativo, da imaginação e da capacidade de comunicar suas ideias por meio da escrita.

Além disso, a escrita na Educação Infantil auxilia no desenvolvimento da coordenação motora fina, que é essencial para a escrita à mão. Ao manipular lápis, canetas e pincéis, as crianças estão exercitando sua motricidade e aperfeiçoando o controle dos movimentos necessários para traçar letras e símbolos.

De acordo com Vygotsky, apud Corsino, 2011,  a escrita deve ter significado para as crianças, uma necessidade intrínseca deve ser despertada nelas e a escrita deve ser incorporada a uma tarefa necessária e relevante para a vida. Só então poderemos estar certos de que ela desenvolverá não como um hábito de mãos e dedos, mas como uma forma nova e complexa de linguagem.

Britto, 2004 revela: É à medida que a criança vivencia a experiência dos objetos da cultura escrita , os modos de organizar a cultura escrita, os gêneros de escrita que ela encontrará sentido no escrito, de modo que, quando aprender o sistema de escrita, ele terá sentido para ela.

Benefícios da Escrita na Educação Infantil:

A prática da escrita na educação infantil oferece uma série de benefícios fundamentais para o desenvolvimento global das crianças. Em primeiro lugar, o processo de escrita contribui significativamente para o aprimoramento das habilidades motoras finas, uma vez que envolve o controle preciso dos movimentos das mãos e dedos ao segurar o lápis ou giz. Além disso, a escrita proporciona um meio de expressão individual, permitindo que as crianças externalizem seus pensamentos, sentimentos e ideias de maneira criativa.

Outro benefício essencial está relacionado ao desenvolvimento cognitivo. A prática da escrita estimula a capacidade de concentração e atenção, promovendo o raciocínio lógico e a organização das ideias. As atividades de escrita também são fundamentais para o desenvolvimento da linguagem e vocabulário, uma vez que as crianças aprendem a associar sons a letras e a construir frases coerentes.

Além disso, a escrita na educação infantil desempenha um papel crucial na preparação para a alfabetização formal. Ao proporcionar um ambiente favorável à exploração da linguagem escrita, as crianças desenvolvem uma base sólida para futuras habilidades de leitura e escrita, contribuindo para o sucesso acadêmico posterior.

Em resumo, podemos citar alguns benefícios:

  1. Desenvolvimento das habilidades motoras finas;
  2. Estímulo à criatividade e imaginação;
  3. Capacidade de concentração e atenção, promovendo o raciocínio lógico e a organização das ideias;
  4. Desenvolvimento da linguagem e vocabulário;
  5. Preparação para a alfabetização formal.

Como Desenvolver o Hábito da Escrita nas Crianças

Para incentivar o hábito da escrita nas crianças, é essencial que a atividade tenha significado para elas. Isso envolve contextualizar a criança no propósito da escrita e considerar seus conhecimentos prévios sobre o sistema alfabético. Quanto mais conhecimentos a criança possuir sobre a linguagem escrita, mais fácil e natural será o processo de aprendizagem da escrita.

Além disso, todas as interações anteriores com a língua, como a contação de histórias e a exploração de palavras, são importantes para que a escrita seja vista como forma de comunicação e expressão de ideias. É fundamental que a criança compreenda a importância da escrita e o propósito de se dedicar a essa habilidade em sua vida.

Uma maneira eficaz de desenvolver o hábito da escrita nas crianças é proporcionar um contexto significativo. Ao conectar a escrita às situações do dia a dia da criança, ela passa a compreender que a escrita tem um propósito real e é fundamental para a comunicação e o registro de informações.

Outra estratégia é aproveitar o conhecimento prévio da criança. Ao iniciar a prática da escrita, é importante considerar os conhecimentos que a criança já possui sobre as letras, palavras e frases. Isso pode ser feito através de atividades que explorem o conhecimento prévio da criança, como identificar letras em ambientes familiares, como em rótulos de produtos ou placas de trânsito, e construir palavras com base nessas letras.

Além disso, é fundamental oferecer um ambiente seguro e acolhedor para a criança praticar a escrita. Elogiar seus esforços e valorizar suas produções escritas promove a confiança e incentiva a prática constante. A escrita deve ser vista como um processo de aprendizagem contínuo, onde a criança é encorajada a experimentar, cometer erros e buscar melhorias.

Em resumo, para desenvolver o hábito da escrita nas crianças, é importante:

  • Oferecer atividades com significado;
  • Contextualizar a escrita no dia a dia da criança;
  • Aproveitar o conhecimento prévio da criança;
  • Valorizar e elogiar seus esforços;
  • Criar um ambiente seguro e acolhedor.

Exemplo de uma Atividade de Escrita

Um exemplo de atividade que pode desenvolver o hábito da escrita nas crianças é a criação de um “diário de aventuras”. Nessa atividade, a criança pode escrever sobre suas experiências diárias, registrar suas emoções e compartilhar suas histórias. Isso proporciona um contexto significativo para a escrita, ao mesmo tempo em que estimula a criatividade e a expressão de ideias.

Além disso, o “diário de aventuras” pode ser personalizado de acordo com os interesses da criança, incluindo desenhos, adesivos e recortes. Isso torna a atividade mais atrativa e prazerosa, incentivando a prática constante da escrita.

Confira um exemplo de como o “diário de aventuras” pode ser estruturado:

DataAventura do DiaEmoções
 10/02/2024 Passeio no parque Feliz, empolgado
 11/02/2024 Aniversário do amigo Alegre, animado
 12/02/2024 Passeio de bicicleta Aventureiro, livre

Nesse exemplo, a criança teria a oportunidade de praticar a escrita diariamente, desenvolvendo o hábito e explorando diferentes habilidades linguísticas, como a organização cronológica dos eventos, a descrição das emoções e a expressão de suas experiências de forma escrita.

Desenvolver o hábito da escrita nas crianças

Como Incentivar a Escrita no Dia a Dia das Crianças

Incentivar a escrita no dia a dia das crianças pode ser uma tarefa prazerosa e eficaz, contribuindo para o desenvolvimento de habilidades linguísticas e cognitivas. Aqui estão algumas formas de promover a escrita no cotidiano infantil:

Estimular a escrita no dia a dia das crianças pode incluir atividades como:

  1. Ambiente Alfabetizador: Estabeleça um ambiente em casa ou na escola que proporcione acesso fácil a materiais de escrita, como lápis, canetas coloridas, papel, quadro-negro, giz e livros. Disponibilizar esses recursos incentiva as crianças a explorarem a escrita de maneira espontânea.
  2. Jogos e Atividades Lúdicas: Introduza jogos e atividades que envolvam a escrita de forma lúdica, como caça-palavras, jogos de palavras cruzadas, quebra-cabeças com letras, ou mesmo brincadeiras de escrever no chão com giz. O caráter lúdico torna a experiência mais divertida e motivadora.
  3. Diários ou Cadernos Pessoais: Incentive a prática da escrita por meio de diários ou cadernos pessoais. As crianças podem registrar suas experiências diárias, pensamentos, desenhos e histórias. Esse hábito não apenas promove a escrita, mas também ajuda no desenvolvimento do autoconhecimento.
  4. Histórias e Contos Compartilhados: Promova a leitura de histórias e, em seguida, convide as crianças a compartilharem suas próprias versões ou continuarem a narrativa. Essa abordagem estimula a criatividade e a expressão escrita.
  5. Cartas e Bilhetes: Incentive a troca de cartas ou bilhetes entre amigos, familiares ou mesmo personagens fictícios. Escrever para alguém cria um propósito significativo para a escrita e fortalece as habilidades comunicativas.
  6. Projetos Temáticos: Desenvolva projetos temáticos que envolvam pesquisa e elaboração de textos. Isso pode incluir desde a criação de um jornal da turma até a elaboração de pequenos livros sobre temas de interesse das crianças.
  7. Estímulo à Escrita Criativa: Ofereça estímulos para a escrita criativa, como desafios de contar histórias, criação de personagens ou inventar finais alternativos para contos conhecidos. Valorize a originalidade e a imaginação.

Ao incorporar essas práticas no dia a dia, cria-se um ambiente propício para o desenvolvimento da escrita, promovendo não apenas as habilidades técnicas, mas também o gosto pela expressão escrita. O ato de escrever promove o registro permanente de determinada ideia e permite que a criança desenvolva suas habilidades de comunicação escrita.

Ao desenvolver o hábito da escrita desde cedo, as crianças se tornam cada vez mais competentes e autônomas nessa habilidade. Elas também aprendem a expressar suas emoções, ideias e pensamentos de maneira clara e organizada, desenvolvendo sua criatividade e habilidades de expressão.

Vantagens de Incentivar a Escrita no Dia a Dia das Crianças:

Incentivar a escrita no dia a dia das crianças oferece uma série de vantagens que vão além do desenvolvimento técnico da linguagem. Aqui estão algumas vantagens significativas:

  1. Desenvolvimento da Linguagem: O estímulo à escrita contribui para a expansão do vocabulário, aprimorando a expressão oral e escrita das crianças. Esse desenvolvimento linguístico é fundamental para a comunicação eficaz.
  2. Estímulo à Criatividade: A prática regular da escrita incentiva a criatividade, permitindo que as crianças expressem livremente suas ideias, imaginação e emoções. Isso contribui para o desenvolvimento de mentes criativas e inovadoras.
  3. Melhoria da Coordenação Motora: O ato de escrever envolve movimentos precisos, o que contribui para o desenvolvimento da coordenação motora fina. Esse aspecto é crucial para outras atividades, como a manipulação de objetos e a realização de tarefas cotidianas.
  4. Fortalecimento da Autoestima: Quando as crianças veem suas palavras registradas no papel, isso fortalece a autoestima e a confiança. O reconhecimento e o elogio por seus esforços na escrita são essenciais para promover uma atitude positiva em relação ao aprendizado.
  5. Hábito da Leitura: A escrita está intrinsicamente ligada à leitura. Estimular a escrita também incentiva o interesse pela leitura, pois as crianças começam a compreender a relação entre as palavras escritas e as palavras faladas.
  6. Fomento ao Raciocínio Lógico: Ao organizar ideias e estruturar frases, as crianças exercitam o raciocínio lógico. A escrita contribui para a ordenação de pensamentos e a criação de argumentos coesos.
  7. Expressão de Sentimentos e Pensamentos: A escrita é uma forma valiosa para as crianças expressarem sentimentos e pensamentos que podem ser difíceis de comunicar oralmente. Isso promove a inteligência emocional e o entendimento de si mesmas.
  8. Preparação para o Futuro: A habilidade de escrever é uma competência essencial para a vida acadêmica e profissional. Incentivar a escrita desde cedo prepara as crianças para os desafios futuros, contribuindo para o sucesso em diversas áreas.

Incentivar a escrita no cotidiano das crianças é, portanto, uma prática que vai além do ensino formal, é uma forma eficaz de promover sua habilidade de comunicação escrita, estimular a criatividade e oferecer uma maneira de se expressarem de forma autêntica, proporcionando benefícios amplos para o desenvolvimento cognitivo, emocional e social. No quadro abaixo há um pequeno resumo:

VantagensDescrição
 1. Desenvolvimento da   habilidade de expressão A escrita no dia a dia permite que as crianças expressem suas ideias e   emoções de maneira clara e organizada.
 2. Estímulo à criatividade e   imaginação Ao escrever, as crianças exercitam sua criatividade e ampliam sua     capacidade de imaginação.
 3. Organização das ideias A prática da escrita ajuda as crianças a estruturarem suas ideias de   forma coerente e coesa.
 4. Ampliação do vocabulário Ao escrever regularmente, as crianças têm a oportunidade de   conhecer e utilizar novas palavras.
 5. Aprimoramento da escrita e   ortografia O incentivo à escrita contribui para que as crianças desenvolvam suas   habilidades de escrita e melhorem a ortografia.
 6. Registro de experiências e emoções Ao escrever, as crianças podem registrar suas experiências e emoções,   criando um registro permanente desses momentos.
 7.Compartilhamento de   histórias  e ideias A escrita no dia a dia permite que as crianças compartilhem suas   histórias e ideias com outras pessoas, estimulando a interação e   comunicação.

O Processo de Alfabetização e a Importância da Escrita na Educação Infantil

O processo de alfabetização é um marco crucial no desenvolvimento educacional, representando o ponto de partida para a jornada de aprendizagem formal. Este processo vai muito além da simples decodificação de letras e palavras, abrangendo a capacidade de compreender, interpretar e expressar ideias por meio da escrita. A habilidade de ler e escrever não apenas fornece acesso ao vasto universo do conhecimento registrado, mas também capacita os indivíduos a comunicarem suas próprias experiências e perspectivas.

A escrita desempenha um papel fundamental na Educação Infantil, proporcionando às crianças oportunidades de construir hipóteses sobre o funcionamento da linguagem e confrontá-las e reconstruí-las em um processo constante de aprendizagem. Ao oferecer experiências com a língua escrita, as crianças adquirem conhecimentos básicos que são necessários para o processo de alfabetização.

O contexto presente na educação infantil reafirma a ideia de que, mesmo antes da aquisição plena do domínio sobre o sistema de escrita e leitura, as crianças têm a capacidade e a necessidade de se familiarizarem com a estrutura textual. Nesse sentido, é crucial introduzi-las precocemente no universo do letramento, proporcionando uma imersão gradual na cultura que envolve a linguagem escrita.

Mesmo em uma fase não convencional, como a brincadeira de fazer listas de compras ou escrever histórias do seu próprio jeito, as crianças constroem hipóteses sobre a escrita e desenvolvem o interesse e o senso de propósito na aprendizagem da escrita. A escrita na Educação Infantil não se limita apenas ao desenvolvimento das habilidades de escrita, mas também proporciona às crianças o contato com textos e a oportunidade de interagir com o mundo da linguagem escrita.

Oferecer um ambiente rico em experiências de escrita permite que as crianças explorem, brinquem e experimentem diferentes formas de se expressar. Isso contribui para o desenvolvimento do pensamento criativo, da imaginação e da capacidade de comunicar suas ideias por meio da escrita.

Além disso, a escrita na Educação Infantil auxilia no desenvolvimento da coordenação motora fina, que é essencial para a escrita à mão. Ao manipular lápis, canetas e pincéis, as crianças estão exercitando sua motricidade e aperfeiçoando o controle dos movimentos necessários para traçar letras e símbolos.

De acordo com Vygotsky, apud Corsino, 2011,  a escrita deve ter significado para as crianças, uma necessidade intrínseca deve ser despertada nelas e a escrita deve ser incorporada a uma tarefa necessária e relevante para a vida. Só então poderemos estar certos de que ela desenvolverá não como um hábito de mãos e dedos, mas como uma forma nova e complexa de linguagem.

Britto, 2004 revela: É à medida que a criança vivencia a experiência dos objetos da cultura escrita , os modos de organizar a cultura escrita, os gêneros de escrita que ela encontrará sentido no escrito, de modo que, quando aprender o sistema de escrita, ele terá sentido para ela.

Benefícios da Escrita na Educação Infantil:

A prática da escrita na educação infantil oferece uma série de benefícios fundamentais para o desenvolvimento global das crianças. Em primeiro lugar, o processo de escrita contribui significativamente para o aprimoramento das habilidades motoras finas, uma vez que envolve o controle preciso dos movimentos das mãos e dedos ao segurar o lápis ou giz. Além disso, a escrita proporciona um meio de expressão individual, permitindo que as crianças externalizem seus pensamentos, sentimentos e ideias de maneira criativa.

Outro benefício essencial está relacionado ao desenvolvimento cognitivo. A prática da escrita estimula a capacidade de concentração e atenção, promovendo o raciocínio lógico e a organização das ideias. As atividades de escrita também são fundamentais para o desenvolvimento da linguagem e vocabulário, uma vez que as crianças aprendem a associar sons a letras e a construir frases coerentes.

Além disso, a escrita na educação infantil desempenha um papel crucial na preparação para a alfabetização formal. Ao proporcionar um ambiente favorável à exploração da linguagem escrita, as crianças desenvolvem uma base sólida para futuras habilidades de leitura e escrita, contribuindo para o sucesso acadêmico posterior.

Em resumo, podemos citar os que alguns benefícios são:

  1. Desenvolvimento das habilidades motoras finas;
  2. Estímulo à criatividade e imaginação;
  3. Capacidade de concentração e atenção, promovendo o raciocínio lógico e a organização das ideias;
  4. Desenvolvimento da linguagem e vocabulário;
  5. Preparação para a alfabetização formal.

Alfabetização e Letramento: A Importância da Escrita

A alfabetização e o letramento são processos complementares e fundamentais para o desenvolvimento das crianças. A alfabetização envolve o desenvolvimento da habilidade de decodificar palavras escritas e a compreensão de textos escritos, enquanto o letramento é a capacidade de utilizar a linguagem escrita de forma adequada para se comunicar.

A escrita desempenha um papel importante nesses processos, pois contribui para o aumento do vocabulário das crianças, desenvolvimento da capacidade criativa, concentração, compreensão e interpretação de textos. Além disso, a escrita também é fundamental, para que as crianças expressem suas ideias de forma escrita, promovendo o pensamento crítico e aumentando o conhecimento sobre o mundo.

Na Educação Infantil, é fundamental trabalhar tanto a alfabetização quanto o letramento, oferecendo às crianças experiências significativas de escrita que promovam a interação e o contato com a linguagem escrita.

Para ilustrar a importância da escrita, podemos observar o seguinte exemplo:

De acordo com estudos recentes, crianças que são expostas a um ambiente rico em escrita desde cedo têm maiores chances de desenvolver habilidades de alfabetização e letramento. Além disso, essas crianças demonstram melhor compreensão de textos, maior vocabulário e capacidade de expressão escrita. A leitura e a escrita são, portanto, as bases para o desenvolvimento cognitivo e emocional das crianças, e devem ser estimuladas desde os primeiros anos de vida.

É essencial que tanto a família quanto a escola estejam envolvidas no estímulo à leitura e escrita, proporcionando um ambiente propício para o desenvolvimento dessas habilidades. Através de atividades lúdicas, contação de histórias, acesso a livros e contato com diferentes gêneros textuais, as crianças podem explorar a linguagem escrita e desenvolver suas habilidades de forma prazerosa e significativa.

Em resumo, a alfabetização e o letramento são fundamentais para o desenvolvimento infantil, e a leitura e escrita desempenham papéis essenciais nesses processos. Ao oferecer oportunidades de leitura e escrita para as crianças, estamos contribuindo para o seu crescimento acadêmico, emocional e cognitivo, preparando-as para se tornarem leitores e escritores competentes e participativos na sociedade.

O Processo de Aprendizagem da Escrita

De maneira geral, o processo de aprendizagem da escrita, isto é, a alfabetização é tradicionalmente concebida para ocorrer nos primeiros anos do ensino fundamental, com estudos indicando que, por volta dos 6 anos, as crianças estão prontas para iniciar a aprendizagem da leitura e escrita. Contudo, a alfabetização vai além da maturidade cognitiva, sendo influenciada por diversos fatores, tais como a autoestima do aprendiz, o apoio recebido tanto da família quanto dos professores, e os métodos didáticos aos quais a pessoa é exposta.

De acordo com a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), dominar o sistema de escrita do português do Brasil não é uma tarefa tão simples: trata-se de um processo de construção de habilidades e capacidades de análise e de transcodificação linguística. Um dos fatos que frequentemente se esquece é que estamos tratando de uma nova forma ou modo (gráfico) de representar o português do Brasil, ou seja, estamos tratando de uma língua com suas variedades de fala regionais, sociais, com seus alofones, e não de fonemas neutralizados e despidos de sua vida na língua falada local. De certa maneira, é o alfabeto que neutraliza essas variações na escrita.

Dessa forma, alfabetizar envolve a apropriação, pelo aluno, da ortografia do português do Brasil escrito, compreendendo um processo longo de construção de conhecimentos sobre o funcionamento fonológico da língua. Essa aquisição demanda o entendimento das relações fono-ortográficas, isto é, a correlação complexa entre os sons (fonemas) do português oral brasileiro e as letras (grafemas) do português escrito. Conhecer a “mecânica” da escrita alfabética significa, sobretudo, ter consciência fonológica da linguagem, percebendo como os sons se separam e se combinam em palavras. No entanto, essas relações não são simples, até porque não apresentam regularidade, e são construídas por convenções.  As convenções ortográficas preveem que todo usuário da língua reconheça o alfabeto como sistema de representação gráfica de sinais sonoros.  As convenções precisam ser aprendidas, o que se faz a partir da reflexão e das práticas sociais de uso.

A escrita da Língua Portuguesa é de base alfabética, o que significa o uso de letras (grafemas) para representar os sons (fonemas). O alfabeto é composto por vinte e seis letras e potencialmente oferece os elementos para se escrever todas as palavras já existentes na língua e quaisquer outras a serem criadas, em decorrência das necessidades comunicativas ou cognitivas da comunidade de usuários.

Devemos ressaltar que o sistema alfabético de escrita incorporam o uso de caracteres gráficos (letras). A função desses caracteres é representar sons, mais precisamente, os fonemas que constituem as palavras faladas. De acordo com Zorzi, em As Letras Falam: Metodologia para Alfabetização, ele coloca que no Brasil, uma forma bastante utilizada para a análise das diversas etapas que caracterizam a aprendizagem da escrita baseia-se nos achados de Ferreiro e Teberosky. A partir de tal referência, pode-se observar um movimento bastante peculiar neste aprendizado, o qual procuraremos relacionar com as habilidades ou competências que o aprendiz vai desenvolvendo em termos de compreender o modo pelo qual as palavras se constituem, considerando-se sua composição sonora segmental: sílabas e fonemas.

O processo de alfabetização fundamenta-se na compreensão do princípio alfabético, o qual abrange duas premissas essenciais: a) as palavras são formadas por letras, e b) as letras representam sons. Com base nessa compreensão, inicia-se o ensino do alfabeto, do sistema de escrita e da utilização conjunta desses elementos como um código de comunicação abrangente em diversas situações.

Zorzi exemplifica que nos ensaios de escrita das crianças, podemos observar que, mesmo sabendo desenhar, ou nomear muitas das letras, quando dizem estar escrevendo, não levam em conta algumas características fundamentais de um sistema alfabético: para escrever faz-se necessário considerar os fonemas que estão nas palavras. Como regra básica, os sons determinam as letras que deverão ser usadas. Se quisermos escrever a palavra /vela/, teremos que usar as letras “v – e – l – a”, porque são elas que representam os sons contidos na palavra falada /vela/. Portanto, quem escreve a partir de um sistema alfabético, deve ter uma habilidade para analisar os fonemas contidos nas palavras e, obviamente, saber que letra ou letras podem representar cada um dos sons. Podemos dizer que esta é uma relação qualitativa da escrita: quais sons estão presentes, quais letras os escrevem.

Outro ponto colocado pelo autor é de que outras variáveis devem ser levadas em conta, como é o caso da quantidade de letras a ser usada, isto é, o tanto de letras que colocamos em uma palavra não se baseia em um critério aleatório ou casual. Existe uma relação quantitativa que pode ser expressa por meio de uma equação geral, estabelecendo que a extensão da palavra falada influencia a extensão da palavra escrita. Mais especificamente, o número de fonemas relaciona-se com a quantidade de letras. Ao escrever a palavra “vela”, empregamos quatro letras, correspondendo ao número de fonemas presentes nela. Já na palavra “chuva”, apesar do uso de cinco letras, a combinação “ch” funciona como uma única letra. Assim, a relação quantitativa continua válida. Embora existam exceções, essa regra geral se mantém.

Portanto, ao escrever, é essencial levar em conta simultaneamente quais fonemas estão presentes (componente qualitativo) e quantos fonemas compõem a palavra (componente quantitativo). A partir desses procedimentos, selecionam-se as letras específicas. Importante ressaltar que essa escolha não é arbitrária, exigindo do aprendiz a compreensão de que as letras representam sons específicos.

Segundo Zorzi, para que tal habilidade possa ser desenvolvida, algumas situações específicas devem ocorrer, como no caso de o aprendiz ter sua atenção dirigida para a estrutura sonora das palavras quando começa o processo de alfabetização. Isto significa que há necessidade de instrução específica e direcionada para que a composição sonora da palavra possa ser segmentada em suas unidades fonêmicas.

Conforme Soares (2003), a alfabetização engloba a aquisição da técnica, o domínio da escrita, da leitura e da compreensão da relação entre grafemas e fonemas, além do conhecimento dos diversos instrumentos de escrita.

O Desenvolvimento de Habilidades Preditoras para a  Escrita das Crianças

Segundo Carneiro (2021),  fala que habilidades preditoras são aquelas que antecedem o processo de alfabetização e são consideradas como determinantes para tal.

De acordo com Capovilla e Seabra (2010, p. 126): ” O processo de alfabetização requer o desenvolvimento de diversas habilidades como as semânticas, as sintáticas, as fonológicas e as metafonológicas”. Para os autores não, não é possível desenvolver a competência no processo de leitura e escrita sem o domínio dessas habilidades.

outras pesquisas também mostram que habilidades de linguagem oral, como consciência fonológica, consciência sintática, vocabulário, memória fonológica e nomeação rápida são preditoras no desempenho da leitura e escrita (TREVISAN et al., 2012). muitos autores concordam que esse ensino deve iniciar-se na educação infantil.

O que são Habilidades Preditoras de Escrita:

Habilidades preditoras de escrita são as habilidades que permitem que as crianças compreendam e utilizem o sistema de escrita antes mesmo de serem capazes de escrever de forma convencional. Tais habilidades preditoras assumem um papel fundamental no processo de alfabetização, servindo como base para o desenvolvimento da leitura e da escrita. Elas se referem às habilidades que permitem que a criança compreenda e utilize o sistema de escrita antes mesmo de ser capaz de escrever de forma convencional. Elas se baseiam em diversos aspectos, como:

  • Consciência fonológica: A capacidade de identificar e manipular os sons da fala, como rimas, sílabas e fonemas.
  • Conhecimento do alfabeto: O reconhecimento das letras e seus sons, bem como a compreensão da relação entre letras e sons.
  • Vocabulário: A quantidade de palavras que a criança conhece e compreende.
  • Compreensão da linguagem escrita: A capacidade de entender o significado de textos escritos.

Fundamentos das Habilidades Preditoras na Alfabetização:

1. A Relação com a Consciência Fonológica:

A consciência fonológica, se refere à capacidade de identificar e manipular os sons da fala, é um dos principais pilares das habilidades preditoras. Através da consciência fonológica, a criança desenvolve a capacidade de:

  • Segmentar palavras em sons: Identificar os fonemas que compõem uma palavra, como em “gato” (/g/, /a/, /t/, /o/).
  • Manipular sons: Combinar, trocar e remover sons para formar novas palavras, como transformar “gato” em “pato” ao trocar o fonema inicial.
  • Reconhecer rimas e aliterações: Perceber a repetição de sons no final das palavras (rimas) ou no início das palavras (aliteração).

2. A Importância do Conhecimento do Alfabeto:

O conhecimento do alfabeto, que envolve o reconhecimento das letras e seus sons, é outro fundamento essencial das habilidades preditoras. Ao dominar o alfabeto, a criança:

  • Associa letras a sons: Reconhece que cada letra representa um som específico da fala.
  • Decodifica palavras: Consegue ler palavras ao associar as letras aos seus sons e combiná-los.
  • Codifica palavras: Consegue escrever palavras ao segmentá-las em sons e associar cada som a uma letra.

3. O Papel do Vocabulário:

Um vocabulário rico e diversificado contribui significativamente para o desenvolvimento das habilidades preditoras. Ao ter um amplo vocabulário, a criança:

  • Compreende melhor o significado de textos: Consegue identificar palavras desconhecidas por meio de pistas contextuais e inferir seus significados.
  • Utiliza a linguagem de forma mais precisa: Expressa suas ideias de forma mais clara e concisa.
  • Escreve textos mais ricos e criativos: Explora diferentes palavras e expressões para comunicar suas ideias.

4. O Desenvolvimento da Compreensão da Linguagem Escrita:

A capacidade de compreender a linguagem escrita, que se refere à capacidade de entender o significado de textos, também é fundamental para o desenvolvimento das habilidades preditoras. Ao compreender a linguagem escrita, a criança:

  • Identifica os elementos de um texto: Reconhece parágrafos, frases, pontuação e outros elementos que organizam o texto.
  • Interpreta o significado de um texto: Consegue entender o que o autor está dizendo e qual é o objetivo do texto.
  • Relaciona o texto com seus conhecimentos prévios: Conecta as informações do texto com suas experiências e conhecimentos prévios, construindo uma compreensão mais profunda.

5. A Influência do Desenvolvimento Cognitivo:

O desenvolvimento cognitivo da criança, envolve habilidades como atenção, memória, raciocínio lógico e resolução de problemas, também influencia o desenvolvimento das habilidades preditoras. Ao ter um bom desenvolvimento cognitivo, a criança:

  • Presta atenção aos detalhes: Consegue identificar pistas importantes no texto que auxiliam na compreensão.
  • Memoriza informações: Retém informações importantes do texto para poder usá-las posteriormente.
  • Faz inferências: Consegue deduzir informações que não estão explicitamente presentes no texto.
  • Resolve problemas: Consegue lidar com as dificuldades que surgem durante a leitura e a escrita.

Desenvolver habilidades preditoras de escrita no início da alfabetização é crucial para o sucesso posterior da criança na escrita. Ao dominar essas habilidades, as crianças:

  • Aprendem a escrever com mais facilidade e rapidez.
  • Produzem textos mais coesos e organizados.
  • Desenvolvem maior fluência e criatividade na escrita.
  • Sentem-se mais confiantes e motivadas para escrever.

Estratégias para Estimular Habilidades Preditoras de Escrita:

  • Brincadeiras com rimas e sons: Cantar músicas, inventar rimas e brincar com jogos fonológicos são atividades que desenvolvem a consciência fonológica.
  • Exploração de letras e palavras: Brincar com jogos de alfabeto, escrever palavras no ar ou no chão e apontar letras em livros e revistas são atividades que familiarizam a criança com o alfabeto e sua relação com os sons.
  • Leitura frequente de histórias: Ler para a criança diariamente, apontando as palavras e discutindo o significado do texto, contribui para o desenvolvimento do vocabulário e da compreensão da linguagem escrita.
  • Atividades de pré-escrita: Incentivar a criança a escrever seu nome, desenhar letras e palavras, e criar seus próprios textos, mesmo que não sejam convencionalmente escritos, é fundamental para o desenvolvimento da escrita.

Em suma, as habilidades preditoras não se desenvolvem de forma isolada, mas sim como resultado da interação de diversos fatores, como consciência fonológica, conhecimento do alfabeto, vocabulário, compreensão da linguagem escrita e desenvolvimento cognitivo. Ao investir no desenvolvimento dessas habilidades, pais e educadores garantem que as crianças estejam bem preparadas para o sucesso na leitura e na escrita.

Ao trabalhar de forma consistente e divertida, pais e educadores podem auxiliar as crianças no desenvolvimento de habilidades preditoras de escrita, preparando-as para o sucesso na alfabetização e em toda a vida escolar.

O Papel da Família e Escola no Estímulo à Escrita

Tanto a família quanto a escola desempenham papéis essenciais no estímulo à escrita das crianças. A família pode ser referência ao mostrar o hábito da escrita em casa e proporcionar momentos de escrita compartilhada. Além disso, realizar passeios a livrarias, bibliotecas e feiras de livros também é importante para estimular o interesse pelos suportes escritos, tais como livros infantis, revistas em quadrinhos e outros suportes que beneficiem o prazer pela escrita.  Já a escola deve promover vivências significativas de escrita, como redação de histórias contadas em sala de aula, rodas de escrita compartilhada e trocas de informações escritas entre a família e a escola. Através dessa parceria entre família e escola, é possível proporcionar às crianças uma relação positiva com a escrita, contribuindo para o desenvolvimento de habilidades linguísticas e emocionais.

Responsabilidades da FamíliaResponsabilidades da Escola
1 Mostrar o hábito da escrita em casa Proporcionar vivências significativas de escrita
2 Realizar momentos de escrita compartilhada Promover a escrita de lista de compras
3 Realizar passeios a livrarias, bibliotecas e feiras   de  livros Estimular escrita compartilhada
4 Incentivar a troca de informações escritas entre a   família e a escola Promover atividades que envolvam a escrita para   fins comunicativos

Ao trabalharem juntas, família e escola podem garantir que as crianças desenvolvam uma relação positiva com a escrita, tornando-se escritoras confiantes e eficazes. Abaixo temos algumas situações que servem de referência para que a família e a escola estimulem à escrita:

1. A Influência Conjunta:

A família e a escola assumem papéis cruciais e complementares no estímulo à escrita. A parceria entre esses dois pilares na vida da criança é fundamental para o desenvolvimento da paixão pela escrita e da proficiência nessa habilidade essencial.

2. Ações Essenciais da Família:

  • Criar um Ambiente Propício: Incentivar a leitura, disponibilizar livros e materiais de escrita, e criar momentos para a escrita em família, como escrever cartas ou histórias juntos, são ações que contribuem para o desenvolvimento da escrita.
  • Valorizar a Escrita: Demonstrar interesse pelos escritos da criança, oferecer feedback positivo e incentivar a participação em atividades de escrita, como concursos ou blogs, são formas de fortalecer a autoestima e a confiança da criança em suas habilidades.
  • Ser um Modelo: Os pais e familiares podem servir como modelos positivos, demonstrando o valor da escrita em suas próprias vidas, lendo frequentemente e escrevendo em diferentes contextos.

3. Ações Essenciais da Escola:

  • Ensino de Qualidade: A escola deve oferecer um ensino de qualidade, com foco no desenvolvimento da grafia, da ortografia, da gramática e da organização textual.
  • Prática Frequente: Propor atividades de escrita frequentes e diversificadas, como redações, contos, poemas, jornais escolares e blogs, permite que os alunos explorem sua criatividade e aprimorem suas habilidades.
  • Feedback Construtivo: Oferecer feedback construtivo e individualizado sobre os escritos dos alunos, focando nos pontos fortes e nas áreas de desenvolvimento, é essencial para o crescimento e a autoconfiança dos estudantes.

4. A Importância da Colaboração:

A colaboração entre família e escola é fundamental para o sucesso do processo de ensino-aprendizagem da escrita. A comunicação frequente, o compartilhamento de informações e a realização de atividades conjuntas são estratégias que fortalecem a parceria e otimizam os resultados.

5. Benefícios da Escrita:

Estimular a escrita desde a infância traz diversos benefícios, como:

  • Desenvolvimento do Pensamento: A escrita ajuda a organizar ideias, desenvolver o senso crítico e a criatividade.
  • Comunicação Eficaz: A escrita aprimora a capacidade de se comunicar de forma clara, concisa e eficiente.
  • Aprendizagem Significativa: A escrita contribui para a retenção de informações e a construção de conhecimento.
  • Autoexpressão: A escrita permite que a criança expresse suas emoções, sentimentos e ideias de forma autêntica.

A colaboração entre família e escola é fundamental para o estímulo da escrita. Enquanto a família proporciona um ambiente acolhedor e compartilha o prazer pela escrita, a escola oferece experiências significativas e estratégias pedagógicas para desenvolver habilidades linguísticas e emocionais nas crianças. Essa parceria contribui para que elas desenvolvam uma relação positiva com a escrita, tornando-se escritores competentes e apaixonados.

A Importância da Escrita para o Desenvolvimento Cognitivo

A escrita desempenham um papel crucial no desenvolvimento cognitivo das crianças. Através da escrita, elas exercitam suas habilidades cognitivas, como a concentração, a interpretação de texto, a compreensão de linguagem e o raciocínio lógico. Além disso, a escrita expande seu conhecimento do mundo, desenvolve o pensamento crítico e estimula a imaginação.

A escrita, por sua vez, permite que as crianças organizem suas ideias, expressem suas emoções e aprimorem sua capacidade de comunicação escrita. Escrever regularmente ajuda no desenvolvimento de habilidades cognitivas como a articulação de pensamentos, a atenção aos detalhes e a organização de informações. Através da escrita, as crianças aprendem a estruturar textos, argumentar de forma lógica e expressar suas opiniões de maneira clara e coerente.

O desenvolvimento cognitivo das crianças é enriquecido pelo contato constante com a escrita. Ela estimula o cérebro, exercita a memória e promove a construção de conexões neurais. Além disso, a escrita proporcionam às crianças oportunidades de aprendizado, expandindo seu vocabulário, fortalecendo o pensamento crítico e ampliando sua compreensão do mundo ao seu redor.

Ao incentivar  a escrita desde cedo, os adultos contribuem para o desenvolvimento cognitivo das crianças, preparando-as para lidar com desafios acadêmicos e promovendo habilidades que serão úteis para toda a vida. Portanto, é essencial proporcionar um ambiente rico em escrita, oferecendo livros adequados à faixa etária, estimulando a criatividade e incentivando a prática regular dessas habilidades. Abaixo temos uma tabela que descreve as habilidades úteis no uso da leitura e da escrita.

HabilidadesLeituraEscrita
 1. Concentração Exercitada ao focar na leitura de um   texto  por períodos prolongados Desenvolvida ao escrever de forma   focada e organizada
 2. Pensamento   Crítico Estimulado pela análise e avaliação de   informações e ideias presentes nos   textos Aprimorado ao expressar opiniões   fundamentadas e argumentos lógicos
 3. Ampliação do   Vocabulário Contribui para o aumento do   repertório   linguístico e vocabulário Permite o uso e domínio de palavras   mais complexas e variadas
 4. Compreensão   de Textos Desenvolve a capacidade de interpretar   e compreender diferentes tipos de texto Promove a habilidade de compreender   e  interpretar textos escritos de maneira   eficaz
 5. Raciocínio   Lógico Estimula a capacidade de dedução e   inferência ao seguir uma sequência   lógica de eventos Desenvolve a habilidade de construir   argumentos coerentes e estruturados

Conclusão

A escrita desempenha um papel fundamental na alfabetização e no desenvolvimento das habilidades linguísticas das crianças. Ao oferecer experiências significativas de escrita desde a Educação Infantil, estimulamos o interesse e o prazer pela linguagem escrita, o que contribui para o desenvolvimento cognitivo das crianças. Através da escrita, elas desenvolvem habilidades como a concentração, a interpretação de texto, o pensamento crítico e a criatividade.

A parceria entre família e escola é essencial para o estímulo da escrita, proporcionando um ambiente propício ao desenvolvimento dessas habilidades. Ao incentivar o hábito da escrita desde cedo, é possível promover a alfabetização e formar escritores competentes e criativos.

A importância da escrita no processo de alfabetização é indiscutível, e investir no desenvolvimento das crianças nessa área é fundamental para seu crescimento acadêmico e pessoal. Através da escrita, as crianças expandem seu vocabulário, fortalecem sua capacidade de comunicação e ampliam seu conhecimento do mundo. Portanto, devemos valorizar e incentivar a escrita como uma ferramenta essencial na educação infantil.

FAQ

Qual é o papel da escrita no processo de alfabetização?

A escrita desempenha um papel fundamental no processo de alfabetização, contribuindo para o desenvolvimento de habilidades de redação, ortografia e compreensão linguística.

Como incentivar o hábito da escrita nas crianças desde cedo?

É importante oferecer atividades significativas de escrita que tenham contexto e relevância para as crianças, além de considerar seus conhecimentos prévios sobre o sistema alfabético.

Qual é a importância da escrita na educação infantil?

A escrita desempenha um papel crucial na educação infantil, proporcionando às crianças a oportunidade de construir hipóteses sobre a linguagem e desenvolver habilidades necessárias para a alfabetização.

Como promover a escrita no dia a dia das crianças?

É fundamental mostrar às crianças que a escrita é uma forma de expressar sua criatividade e compartilhar suas ideias, por meio de atividades como escrever cartões e criar suas próprias histórias.

Qual é o processo de aprendizagem da escrita na educação infantil?

O processo de aprendizagem da escrita na educação infantil consiste em oferecer às crianças vivências e experiências significativas com a leitura e a escrita, estimulando seu contato com a linguagem escrita.

Qual é a importância da escrita no processo de alfabetização?

A escrita desempenham papel fundamental no processo de alfabetização, promovendo habilidades de compreensão, interpretação de textos, pensamento crítico e aumento do conhecimento do mundo.

Como ocorre o desenvolvimento da escrita nas crianças?

O desenvolvimento da escrita nas crianças ocorre gradualmente, com a construção de habilidades linguísticas e psicológicas que são fundamentais para a aquisição da linguagem escrita.

Qual é o papel da família e escola no estímulo à  escrita?

Tanto a família quanto a escola desempenham papéis essenciais no estímulo à escrita nas crianças, fornecendo experiências significativas e promovendo um ambiente propício para o desenvolvimento dessas habilidades.

Quais habilidades a escrita desenvolvem nas crianças?

A escrita desenvolve habilidade como autonomia na comunicação, concentração, capacidade criativa, compreensão de textos, pensamento crítico e aumento do vocabulário.

Qual é a importância da escrita para o desenvolvimento cognitivo das crianças?

A escrita exercita habilidades cognitivas nas crianças, como concentração, interpretação de texto, pensamento crítico e raciocínio lógico, além de estimular a imaginação e o conhecimento do mundo.

Links de Fontes

Auxiliadora Lemos
Auxiliadora Lemos

Sou Auxiliadora Lemos. Professora e Psicopedagoga Clínica com mais de 18 anos de experiência na área. Esse espaço é dedicado a assuntos da Psicopedagogia, para guiar estudantes, recém-formados e profissionais que estão começando na área. Meu objetivo é oferecer suporte, compartilhar conhecimentos, dar dicas de recursos e facilitar a transição acadêmica à prática psicopedagógica. Vamos explorar juntos o fascinante universo do desenvolvimento humano e da aprendizagem!

Artigos: 27

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *